Os 20 princípios da ASQ para auditoria interna

Para que a auditoria interna contribua para o bom desempenho das organizações públicas, o auditor interno precisa lidar com temas variados, tais como políticas, códigos de ética, planejamentos e riscos. Nessas horas, ou o auditor conhece os princípios gerais da auditoria interna, ou se perde.

Reuni nesta postagem uma tradução minha para os 20 princípios básicos de auditoria interna propostos pela Sociedade Americana de Qualidade (ASQ, American Society for Quality).

Conheci os princípios de auditoria interna da ASQ quando estudava “The internal auditing pocket guide”, de J. P. Russel.

O que me chamou a atenção foi a simplicidade com que os princípios da ASQ buscam informar a conduta do auditor e os três momentos principais do trabalho de auditoria: a preparação, a execução e o relatório.

Os 20 princípios básicos da auditoria, segundo a ASQ

Conduta do auditor

  1. Não divulgue informações de propriedade do auditado.
  2. Seja honesto e imparcial, evite conflitos de interesse.
  3. Quando identificar uma atividade antiética: verifique, registre e reporte.
  4. Proteja o patrimônio que o auditado lhe confiar.
  5. Use seu conhecimento e suas habilitadas em benefício do bem comum.

Preparação

  1. Assegure a disponibilidade dos recursos necessário à realização da auditoria.
  2. Verifique se há um sistema ou um processo estabelecido antes de começar a auditoria.
  3. A auditoria deve ser incumbida a auditores competentes e qualificados.
  4. Comunique ao auditado as informações que estiverem combinadas, tais como cronograma da auditoria, objetivo, áreas que serão auditadas e critérios de auditoria.

Execução

  1. Verifique a conformidade com relação a requisitos e regras sobre os quais houve acordo. Auditores não elaboram requisitos para o auditado.
  2. Permaneça dentro do escopo combinado a menos que o grau de risco necessite de outras ações.
  3. Amostras devem ser aleatórias e representativas, exceto se os objetivos especificados exigirem o contrário.
  4. Conformidades e desconformidades devem ser verificáveis e rastreáveis.
  5. Siga as regras do auditado em questões de segurança, meio ambiente, saúde, áreas restritas, dentre outras.
  6. Informe o auditado sobre o andamento da auditoria.

Relatório

  1. Relate os resultados da auditoria com fidedignidade, clareza, correção, concisão e completude.
  2. Comunique a importância dos achados e das desconformidades.
  3. Assegure que os resultados sejam conectáveis com os requisitos.
  4. Não assuma como seus os problemas encontrados.